IMPRENSA

notícias

21/06/2018

Doença crônica mais comum da infância, a asma pode ser controlada

A asma é a doença crônica mais comum da infância. Caracteriza-se pela inflamação das vias aéreas, cujas principais manifestações são exacerbações episódicas de obstrução brônquica. As causas mais comuns da asma estão relacionadas aos antecedentes de alergias respiratórias e história familiar.

 

“Aproximadamente 50% das crianças asmáticas melhoram ou deixam de apresentar quadros graves após 12 anos. Mas podem, eventualmente, apresentar alguma exacerbação”, explica o Pneumologista Pediátrico do Hospital Aliança, Luis Cláudio Paranhos.

 

Durante o inverno, as exacerbações de asma podem se intensificar por conta da exposição ao ar frio que estimula o broncoespasmo, e pela maior incidência de infecções virais das vias aéreas superiores já que os vírus são gatilhos das crises agudas. É bom lembrar que o paciente tem que fazer um tratamento preventivo adequado com o pneumologista pediátrico para evitar complicações futuras.

 

“Uma asma não tratada devidamente, em longo prazo, pode evoluir como remodelamento das vias aéreas, redução da capacidade respiratória e persistência da asma”, alerta.

 

Mesmo sem cura, existem diversas opções de tratamento com o uso de medicamentos adequados, eliminação da exposição a alérgenos (substâncias que induzem uma reação alérgica) e controle dos sintomas de acordo com a faixa etária do paciente. A prática de atividade física é um bom aliado, desde que a criança não tenha desenvolvido asma induzida pelo exercício e/ou o seu quadro esteja controlado com acompanhamento pelo especialista.

 

“É muito importante o acompanhamento com o pneumologista pediátrico para orientar a família quanto ao plano de ação domiciliar que evita o agravamento das exacerbações de asma e proporciona aos pais o conhecimento sobre a doença”, finaliza.

 

 

Fatores desencadeantes da asma:

 

21 de junho é o Dia Nacional de Combate da Asma