IMPRENSA

notícias

12/08/2019

Amamentar reforça vínculo mãe-bebê e previne doenças

Segundo última pesquisa do Ministério da Saúde sobre amamentação, Salvador é a capital brasileira com o menor percentual do país em aleitamento materno na primeira hora de vida (apenas 58,5%) e está abaixo da média do Brasil (41%) e do Nordeste (37%) quanto ao aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida (apenas 36,5%).

 

Por isso, neste mês de apoio à amamentação, o Agosto Dourado, o Hospital Aliança aderiu à campanha da Organização Mundial da Saúde (OMS) que tem como lema “Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação”, que tem o objetivo de estimular as mães e pais pelo ato de amamentar. O intuito é mostrar que, além do leite ser essencial para a saúde do bebê, o ato de amamentar fortalece a relação entre o bebê e a família.

 

“O sucesso da amamentação é resultado do empenho de todos os que estão envolvidos nos cuidados da criança, direta ou indiretamente. O pai ou o parceiro desta mulher deve estar informado e ajudar a mulher na amamentação, como também estar atento para a hidratação, alimentação e facilitar o repouso da mulher que amamenta”, informa a coordenadora da UTI Neonatal do Hospital Aliança, Dra. Katiaci Araújo.

 

Os benefícios do aleitamento materno para o bebê são evidentes. Transmissão de anticorpos que protegem contra alergias e infecções, evita problemas fonoaudiológicos, está associado a melhor desenvolvimento dos músculos da face, da fala e da respiração, facilita o desenvolvimento da mastigação e da fala, deglutição e questões psicomotoras e é o nutriente perfeito para o crescimento de um bebê forte e saudável.

 

Os dados informados pela neonatologista apenas reforçam a importância desse vínculo fundamental para a saúde do bebê.
• O aleitamento materno está associado a redução de 13% na mortalidade por causas evitáveis (desnutrição, diarreia, pneumonia e outras doenças infecciosas) em crianças menores de 5 anos de idade;
• Cerca de 823 mil mortes de crianças poderiam ser evitadas se os bebês fossem alimentados exclusivamente com leite materno nos primeiros seis meses de vida;
• Amamentar está associado à redução de 54% dos casos de diarreia, 32% dos casos de infecções respiratórias e, secundariamente, menor número de internações, consultas e medicações.

 

Relação mãe-bebê
Outro benefício importante para a amamentação, de acordo com Dra. Katiaci Araújo, são as vantagens da amamentação para o vínculo mãe-bebê. “O contato pele a pele, a troca de olhar, o colo, são fatores intrínsecos ao ato de amamentar que favorecem uma melhor qualidade da relação da criança com a mãe na fase inicial da vida, aspecto tão importante para a estruturação da vida afetiva adulta. O bom desenvolvimento emocional possibilita firmar os alicerces da vida afetiva adulta”. Ou seja, a amamentação se torna uma relação de troca bastante importante entre os pais e o bebê.