IMPRENSA

notícias

09/07/2019

Atitudes simples para se prevenir das hepatites virais

O Julho Amarelo é o mês de prevenção às hepatites virais, inflamações no fígado causadas por vírus que podem ter consequências graves como cirrose hepática e câncer de fígado.  Para se prevenir das hepatites, o hepatologista do Hospital Aliança, Dr. Raymundo Paraná, cita algumas atitudes simples e eficazes para combater a doença.

 

“Existe vacinação para a hepatite B e hepatite A. Outras atitudes como o sexo seguro, evitar o compartilhamento de instrumentos perfurocortantes e especial atenção à higienização dos alimentos, bebidas e no contato com pessoas contaminadas (hepatite A) também protegem contra as hepatites, que no Brasil atingem cerca de 1 milhão de habitantes (hepatite B) e 1,5 milhões de habitantes (hepatite C) ”, afirmou o hepatologista que é presidente da Associação Latino-Americana para Estudo do Fígado (ALEH).

 

Quem também faz o alerta sobre os cuidados é o aposentado Rômulo Correa, 74, que conviveu 27 anos com a hepatite C e que hoje é presidente do Grupo Vontade de Viver, organização que divulga informações e realiza o encaminhamento de pessoas com hepatite ou com suspeitas de hepatite na Bahia. “O nosso grupo nasceu da experiência de quatro portadores de Hepatite C com o intuito de divulgar informações de conscientização, como o que acontece com o Julho Amarelo. Outros cuidados recomendados contra as hepatites envolvem locais que manejam instrumentos perfurocortantes como estúdios de tatuagem – atenção se eles atendem às normas de segurança (agulha e tinta individual ou agulha esterilizada em autoclave) – e salões de beleza/barbearia – atenção à utilização individual dos objetos como esmaltes e alicates. ”

 

Além da vacinação e destes cuidados, Dr. Raymundo Paraná enfatiza a importância de que todos os indivíduos a partir dos 50 anos façam os testes AGHBS e anti-HCV para o diagnóstico precoce da doença. É indicado fazer o teste também todos aqueles que tiveram infecções sexualmente transmissíveis, receberam transfusão de sangue antes de 1994, utilizaram ou compartilharam seringas de vidro e fizeram tatuagens em estúdios sem a licença da vigilância sanitária. Previna-se.