IMPRENSA

notícias

12/08/2019

Mitos e Verdades sobre a Amamentação

O aleitamento materno é fundamental para o bom crescimento dos bebês. O leite é considerado mundialmente padrão ouro para a alimentação dos bebês pois possui diversas vantagens para o desenvolvimento – melhora a linguagem, cognição e desenvolve músculos da face, a fala e a respiração – e para a prevenção de doenças como desnutrição, infecções e redução do risco de obesidade, diabetes melitus, hipertensão arterial e doenças cardíacas na vida adulta.

 

Para estimular esta atitude decisiva por parte dos pais de favorecer a amamentação, neste Agosto Dourado – Mês dedicado ao incentivo à Amamentação, o Hospital Aliança esclarece alguns mitos frequentes que, por vezes, confunde as pessoas sobre a amamentação. Quem explica é a coordenadora da UTI Neonatal, Dra. Katiaci Araújo.

 

Existe leite fraco.
MITO. Não existe leite fraco. Até uma mãe com desnutrição leve ou moderada é capaz de produzir um bom leite. O leite materno tem todas as substâncias na quantidade certa que o bebê precisa para crescer e se desenvolver sadio. O leite do início da mamada é mais “ralo”, pois contém mais água, menos gordura e grande quantidade de fatores de defesa. Contém também mais vitaminas e sais minerais. O leite do fim da mamada é mais grosso, visto que tem mais gordura e engorda o bebê. O bebê precisa do leite do começo ao fim da mamada.

 

Seios pequenos produzem menos leite.
MITO. O que dá o tamanho dos seios é o tecido gorduroso e não a glândula produtora de leite. Portanto, não depende do tamanho ou formato da mama.

 

Amamentar deixa os seios flácidos.
MITO. Amamentar não deixa os seios flácidos, a não ser que não haja cuidados básicos. A indicação é usar um sutiã de alças largas e que sustente as mamas.

 

Criança que nasceu prematura (antes do tempo) ou com baixo peso (menos de 2 quilos e meio) não deve mamar no peito.
MITO. Estes bebês podem ter dificuldades de sugar no início, mas são os que mais precisam da proteção do leite materno. Conforme eles crescem, sugam com maior facilidade. Se o bebê tiver dificuldade de sugar, retire o leite, coloque-o em um recipiente limpo e ofereça com colher ou na xícara de café/copinho.

 

Simpatias e crendices podem alterar o leite.
MITO. A maioria das simpatias ou crendices não alteram o leite. Por exemplo: o bebê arrotar no peito, o leite pingar no chão, beber água durante a amamentação, nada disso altera a quantidade e a qualidade do leite.

 

É importante ressaltar que todas as informações e dúvidas sobre a amamentação devem ser tiradas com um médico especialista. Isto ajuda para evitar a desinformação e traz segurança para pais e bebês.